Caviar com champagne ou sardinha com cerveja?

Os radioamadores envolvidos nesta história (fictícia?) já se “conheciam” pelas faixas de HF da vida. Apesar das diferença$, o relacionamento no rádio era amistoso. A estação do primo rico, montada em um shack com ar condicionado, era constituída por transceptores topline de marcas reconhecidas e lineares de alguns kW, cabos coaxiais de baixa perda e alta capacidade de potência, cargas não irradiantes pesadíssimas, refrigeradas a óleo, antenas yagi monobandas full size para todas as faixas de HF, enfim, tudo de 1ª linha e qualidade. Já o primo pobre tinha uma estação modesta, composta por um FT-101E com as 6JS6 moribundas e uma antena bigode de gato multibanda, alimentada com um cabo coaxial já meio ressecado, cuja marca prefiro nem declinar.

Estavam os dois, na faixa de 40m, em um típico QSO de domingo às 17:30 PT2, já na fase de mandar as recomendações para D. Mariquinha (a xtal) e toda a tripulação do QTH, quando ouviram uma solicitação com sinal forte de uma estação da América Central, que dizia ouvir ambos com 57, exatamente. O primo pobre, todo feliz, pois, para ele, não eram frequentes esses contatos, solicitou confirmação da reportagem recebida, dizendo-se satisfeito com o rendimento de sua estação e atribuindo um RS de 59 para o hermano hondurenho. Foi confirmado o 57 para o primo pobre e 57 para o primo rico, para quem foi transferido o câmbio. Este, percebendo que havia se confundido com as muitas chaves comutadoras de antena existentes em seu shack, falou: “ooooops, eu estava com a chave virada para a carga não irradiante, desculpem a munhecada, agora estou transmitindo na yagi monobanda de 4 elementos, veja qual é o meu sinal…”.

Caros colegas, eu não sou hipócrita a ponto de dizer que prefiro um “yaesuzinho” velho a um FT-2000, mas dispenso o caviar, o champane (não gosto!) e a carga não irradiante do primo rico. Tá bichada, QSL, maraca? Se eu ganhar alguns milhões na Mega Sena, compro um FT-2000DX e a comemoração será feita com scotch 30 years old e castanha de cajú graúda, autenticamente brasileira. Por enquanto, vou ficando com o meu FT-897 tipo all-in-one, meia boca!

ft897

2 Respostas para “Caviar com champagne ou sardinha com cerveja?

  1. Taí, gostei da história.
    Tanto aparato para um “report” igual.

    73 de José Luís – CT1GZB. Lisboa, Portugal.

  2. Caro Luís, desculpe pela demora da resposta. Meu computador estava “doente”

    A tal da carga não irradiante esta irradiando! Em 1980, eu sintonizava meu Eudgert com uma carga “não irradiante” composta por 3 lâmpadas 127V/100W incandescentes. Qual não foi minha surpresa quando ouvi no receptor que estava ao lado, na mesma frequência, uma contestação de um colega das Minas Gerais, PY4-não-me-lembro-o-quê!!!

    73’s

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s