RENER

Minha opinião, como radioamador cadastrado na RENER, não traduz a posição da instituição radioamadorística da qual faço parte; é somente minha e é resultado de minha experiência com o assunto. Vejamos, então:

  •  Objetivo da RENER – transcrito do Manual de Ativação da RENER, encontrado em http://www.defesacivil.gov.br/rener/norma.asp.
    2.12.2 – A Rener tem a finalidade de prover ou suplementar as comunicações em território brasileiro, quando os meios normais forem insuficientes, ineficazes ou impedidos para operação na ocorrência de desastre, situação de emergência ou estado de calamidade pública. – A Rener consiste em uma rede formada por radioamadores voluntários, devidamente autorizados que, com seus equipamentos, se colocam à disposição do interesse público quando acontecem os desastres.

É preciso, rápido e rasteiro o texto da Norma. Convém examinar a definição do termo desastre, na mesma Norma, para que não se cometam equívocos ou excessos. Em contrapartida, não se pode pecar por omissão, ignorando uma situação de “desastre iminente”  ou uma situação de emergência, sem prestar socorro. O bom senso deve prevalecer, acima de tudo. Um exemplo extremo: poças d’água na Av. Brasil não precisam de ser varridas pelo próprio radioamador que as constatou, mas, se possível e aplicável, o fato deve ser comunicado ao órgão competente. A atitude do cidadão radioamador deve prender-se, exclusivamente, à comunicação por rádio ou outro meio disponível, a não ser que seja capacitado para prestar outro tipo de socorro.

Ficar esperando que o mundo acabe para entrar em ação também não resolve. O texto da Norma é claro e prevê suplementação dos meios de comunicação, quando estes forem insuficientes. É aí que nós entramos, com nossas estações portáteis, móveis e fixas, sob coordenação da estação coordenadora estadual. Na minha opinião, o comandodo tem que ser centralizado, para impedir a formação de “milícias de comunicação”.

  • Ativação da RENER – também transcrito do Manual de Ativação da RENER.
    6.2 – Ativação
    A Rener poderá ser ativada nos estados e municípios afetados por desastres, através das Coordenadorias Estaduais de Defesa Civil – CEDEC e das Comissões Municipais de Defesa Civil – COMDEC, apoiadas pela LABRE.
    Parágrafo único. Um radioamador devidamente cadastrado na Rener, presente em um local de desastre, poderá ativar a rede independente de instruções superiores.
     

Não é claro o texto! No caso de inexistência, inoperância ou incompetência de uma LABRE ou delegada dela, como é admimitido no texto da Norma, esta poderá ser substituída por radioclube ou radioamador devidamente cadastrado na RENER. Não é nosso caso, no RJ, pois a LABRE-RJ declarou competência, chamando para si a responsabilidade da RENER-RJ, antes confiada ao radioamador Roger, ex-PY1DIN, agora PP5RO.

Estava errado, talvez por ignorância ao texto ou picuínha exagerada, quando afirmei que o acionamento da rede era burócrático e lento. Basta ler o texto acima para perceber o equívoco. O titular da estação PU1PYC, Darcy Costa, atual estação coordenadora estadual da RENER no RJ, tem por diretriz implementar um trabalho em equipe, formando uma comunidade radioamadorística participativa e não contemplativa. Devemos colaborar, como radioamadores cadastrados na RENER que somos, apoiando, discordando, discutindo e, enfim, melhorando.

2 Respostas para “RENER

  1. Marcelo Dutra

    Me parece que deve estar havendo alguma confusão quanto à instituição de funções aqui. Conforme o texto da Norma de Ativação e Execução dos Serviços da ReNER, a Coordenadoria ESTADUAL cabe à estação oficial do órgão da Defesa Civil estadual, apoiada pela Federação Estadual de Radioamadores – LABRE/UF e a coordenadoria MUNICIPAL , sim, é a estação oficial designada pela Federação Estadual de Radioamadorismo – LABRE/UF, incumbida de ser o elo de ligação entre a Comissão Municipal de Defesa Civil – COMDEC de seu município e a estação da Rener Coordenadora da Rede, no seu Estado. Cabe esclarecer que no RJ o órgão de defesa civil é a Subsecretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil, cujo braço administrativo é a Superintendência Operacional de Defesa Civil e o operacional é o Departamento Estadual de Defesa Civil – DGDEC. Estaria eu errado?

  2. Está certíssimo! Por este motivo, eu disse que o texto na Norma de Ativação não é claro, requer revisão. Veja o texto retirado “ipsis literis” da referida norma:
    ——————————————————
    6.2 – Ativação
    A Rener poderá ser ativada nos estados e municípios afetados por desastres, através das Coordenadorias Estaduais de Defesa Civil – CEDEC e das Comissões Municipais de Defesa Civil – COMDEC, apoiadas pela LABRE.
    Parágrafo único. Um radioamador devidamente cadastrado na Rener, presente em um local de desastre, poderá ativar a rede independente de instruções superiores.
    ————————————————–
    Isto não fere o que vc disse, concordo plenamente. Meu post sobre esse assunto foi ocasionado por uma singular situação, aqui no RJ. A estação coordenadora havia sido indicada pela Labre central, pois que a Labre-RJ não o fez, sabe lá Deus o motivo. Quando se achou competente para fazê-lo, pressionou para colocar o seu eleito. E o fez! Foi uma excelente escolha. Agora, já não sei mais de nada. Parece que, politicamente, já não é mais conveniente e já se pensa em mudanças. Uma imundície só!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s